Outono e Inverno e os cuidados com a saúde durante a estação

Outono e Inverno e os cuidados com a saúde durante a estação

14 de maio de 2020 0 Por Editor

Com a queda de temperatura que ocorre na entrada do outono e inverno, a circulação de vírus no ar aumenta. Por esse motivo, estações climáticas como estas acabam sendo acompanhadas de doenças alérgicas e respiratórias, resultando nas principais causas de internações no país durante o período. As doenças mais frequentes são a pneumonia e rinite alérgica, principalmente entre idosos e crianças.

A temperatura amena e diminuição da umidade relativa do ar do outono e inverno acaba agravando essas doenças, em especial as alérgicas. No entanto, é possível preveni-las para aproveitar melhor o período dessas estações. Evitar aglomerações é a principal dica para prevenir-se não só de doenças típicas do outono e inverno, mas também da propagação do Novo Coronavírus

No artigo a seguir, vamos apresentar a melhor forma de evitar essas doenças sazonais, com práticas de prevenção que podem melhorar a qualidade de vida durantes estas estações do ano. Acompanhe!

Doenças respiratórias do outono e inverno

Com o início da temporada de frio, começa também o aumento nos índices de doenças respiratórias. Isso acontece devido a época do ano em que o clima se torna mais seco, com baixa umidade do ar e aumento da poluição. 

O ar frio por si só já é capaz de causar irritação nas mucosas que revestem as vias nasais, provocando inflamações. Essa condição acaba facilitando a entrada para vírus e bactérias que podem causar infecções no aparelho respiratório, formado pela boca, nariz, faringe, laringe, traqueia, brônquios, bronquíolos, alvéolos pulmonares e sacos alveolares. 

O ar seco também traz a concentração de poluentes na atmosfera, causando maior sofrimento àqueles que já vivem com uma doença respiratória. São nessas condições que vírus como o da gripe acabam se proliferando, tornando comum surtos, assim como crises asmáticas, de sinusite e bronquite. 

Doenças mais comuns no outono e inverno

Entre os meses mais frios do ano marcados pelo outono e inverno, os diagnósticos mais comuns de problemas respiratórios são rinite, asma, sinusite, enfisema pulmonar, pneumonias e DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica).

Além da baixa umidade do ar e aumento da poluição, os dias frios acabam tornando comum que pessoas mantenham-se aglomeradas por mais tempo em um ambiente fechado e com pouca ventilação, favorecendo o desencadeamento de doenças respiratórias e transmissão de gripe, resfriados, Covid-19, e outras viroses. Conheça as doenças respiratórias mais comuns do outono e inverno. 

Sinusite

Inflamação das mucosas da face localizadas ao redor do nariz, a sinusite atinge a região conhecida como maçãs do rosto. Quando alterações impedem o fluxo das secreções dessa área, acontece a inflamação. Pode ser aguda ou crônica, e seus sintomas podem variar entre dor de cabeça (especialmente na face), congestão nasal, tosse, coriza, e em alguns casos febre

Bronquite

A bronquite é outra doença respiratória que se agrava no outono e inverno. A inflamação dos brônquios, ductos que levam ar aos pulmões, acompanha uma infecção viral respiratória que começa afetando nariz, garganta e seios do rosto, passando posteriormente para pulmões. 

Pessoas que apresentam outras doenças respiratórias ou cardíacas são predispostas a desenvolver quadros de bronquite. Seus sintomas são falta de ar, chiado no peito, febre e tosse seca.

Asma

A asma ocorre quando pequenos ductos pulmonares, chamados bronquíolos, se estreitam por processo inflamatório, dificultando a respiração do indivíduo e causando falta de ar. Em geral, a tosse seguida de chiado no peito também pode ser um sinal da doença.

Bronquiolite

Mais comum entre crianças pequenas e bebês, a bronquiolite surge a partir de 6 meses de vida. Ela acontece quando os bronquíolos se inflamam, causando tosse, falta de ar, cansaço e chiado no peito. Essa é uma das doenças que mais leva crianças para internações em épocas de outono e inverno.

Pneumonia

A pneumonia é uma infecção causada por vírus ou bactéria que se instala nos pulmões. Pode ser provocada também por reações alérgicas e decorrente de um resfriado mal curado. Idosos e pessoas acamadas são mais propensas a ter a doença, e, quando não tratada a tempo, pode ser fatal. Seus sintomas incluem tosse intensa com secreção amarelada ou esverdeada, dores nas costas e peito, febre alta, falta de ar e mal-estar.

Resfriado

Infecção viral que afeta o sistema respiratório, o resfriado costuma ter duração de até 5 dias. Seus sintomas são semelhantes ao da rinite alérgica, como coriza e espirros. No entanto, pode causar também febre baixa, cansaço e dores de garganta. 

Otite

A otite, infecção no ouvido causada por vírus ou bactéria, apresenta-se mais frequente durante outono e inverno. Isso porque, as secreções que muitas vezes estão em garganta ou nariz acabam se deslocando para o ouvido, causando fortes dores pela inflamação.

Gripe

A gripe é uma infecção aguda do sistema respiratório causada pelo vírus influenza. Atingindo pessoas mais susceptíveis, como crianças de até 5 anos e pessoas acima de 60 anos, a gripe apresenta febre, mal-estar, dores de cabeça e tosse. Seu tratamento é direcionado para aliviar os sintomas, contudo, a melhor forma de evitar que ela apareça gripe é por meio da vacinação.

Alergias 

Denominamos alergia as reações anormais que o sistema imunológico do corpo apresenta de maneira exagerada ao entrar em contato com algumas substâncias, ocorrendo em pessoas geneticamente predispostas a alergias. Essas substâncias podem variar entre ácaros, plantas, intolerância a alimentos, pólen, medicamentos, produtos industrializados, epitélios de animais, e mais.

Powered by Rock Convert

O outono e inverno são estações que apresentam mudanças de hábitos que podem ser prejudiciais também para alérgicos ou pessoas com sensibilidade à alergias. Em dias frios, é normal que a população se mantenha mais tempo dentro de casas, escritórios e ambientes com janelas e portas fechadas para evitar a entrada do ar frio. 

Notamos também um aumento de pessoas em espaços que não contam com ventilação, favorecendo a transmissão de doenças causadas por vírus e bactérias, como vimos acima. 

Contudo, os alérgicos também fazem parte da população mais atingida com a mudança de estação, pois, além de desencadear as crises recorrentes por infecções aéreas, também causam rinite e asma.

As pessoas com alergias devem tomar cuidado redobrado nessas estações, evitando crises que possam agravar o quadro alérgico. Entre as medidas que podem fazer toda diferença para evitar situações que possam afetar a saúde, estão:

  • realizar a higienização constante de ambientes;
  • higienizar roupas e cobertores que estiveram guardados por um longo tempo;
  • evitar carpetes e tapetes;
  • manter o piso sempre limpo e os cômodos sempre ventilados;
  • higienizar lençóis e fronhas com frequência;
  • higienizar colchão, mantendo-o sempre em área ventilada durante o dia.

Alergias sazonais

Alergias sazonais são aquelas que ocorrem somente em determinadas épocas do ano, quando algumas substâncias estão em evidência por fatores ambientais, como acontece no outono e inverno.

As crises alérgicas que aparecem nesse período podem ser causados por plantas, flores, árvores, ervas ou arbustos que liberam partículas de pólen que, em grande concentração, pode causar alergia para muitas pessoas que tenham diferentes graus de sensibilidade.

Detectando a presença desse tipo de invasor, o organismo vai liberar substâncias químicas no sangue da pessoa, a fim de se defender, ação que provoca sintomas alérgicos. Entre esses sintomas, podemos listar os seguintes:

  • espirros consecutivos;
  • tosse;
  • coceira;
  • olhos avermelhados;
  • sensação de nariz entupido;
  • olhos lacrimejando;
  • superprodução de secreção nasal.

Dermatite

Por fim, ainda que não seja uma doença respiratória, a mudança de estação para outono e inverno pode acarretar outros tipos de complicações, como a dermatite. A queda na temperatura consequentemente leva a pessoa a banhos quentes e demorados, que podem causar o ressecamento e sensibilidade da pele, gerando a dermatite, coceira e irritação na pele que pode evoluir para bolhas e rachaduras.

Formas de prevenção

Os cuidados com a saúde durante o outono e inverno exigem medidas simples que podem ajudar a prevenir doenças respiratórias. Muitas delas fazem parte da boa educação ao tossir ou espirrar, veja:

  • evite aglomerações e lugares fechados sem ventilação;
  • lave bem as mãos sempre que tossir, espirrar, antes de comer ou após tocar em ambientes sujos;
  • ao tossir ou espirrar, proteja a boca com o braço ou cubra-a com um lenço de papel, evitando contaminar as mãos;
  • evite acúmulo de poeira em casa;
  • lave sempre blusas e casacos de frio e deixe-os secar ao sol;
  • lave o nariz com solução fisiológica sempre que tiver alguma irritação;
  • evite tocar o rosto com as mãos sujas.

Os cuidados com o organismo devem ser redobrados, por isso, é fundamental manter uma boa qualidade de vida para estar saudável. Acompanhe a seguir, outras formas de evitar complicações no outono e inverno, cuidando de seu corpo.

Beba água

É comum que durante os climas mais frios o consumo de água diminua entre as pessoas. Esse é um grande problema, visto que, muitas das doenças respiratórias decorrentes do ar frio deixam as vias aéreas secas, permitindo a instalação de vírus e bactérias. Mantenha-se hidratado bebendo bastante água, chás e sucos ricos em vitamina C. Uma boa forma de fazer isso, é carregar sua garrafa de água sempre com você.

Fuja de ambientes fechados

Ambientes fechados são excelentes para a proliferação de vírus e bactérias no ar que já estão em maior quantidade no outono e inverno. Dessa forma, mais pessoas podem acabar contraindo algumas doenças comuns da estação.

Mesmo que seja necessário se refugiar em um ambiente fechado em alguns dias mais frios, evite ficar por muito tempo em locais sem circulação de ar. Procure ambientes externos, com janelas e portas abertas para que o ar se renove. 

Mantenha as mãos sempre limpas

Uma dica simples que pode ajudar a manter-se saudável não só no outono e inverno mas em todas as épocas do ano, é lavar sempre as mãos. Esse ato pode evitar a transmissão não só de doenças respiratórias, mas também gastrointestinais.

Higienizar as mãos deve ser uma prática frequente entre todas as pessoas, principalmente quando estamos em contato com diferentes objetos, seja no trabalho, transporte público, comércio, ou mesmo em casa. 

Tenha uma alimentação saudável

Independente da estação do ano, a alimentação balanceada deve ser mantida por toda a vida. O motivo disso é simples: doenças como a gripe costumam acometer pessoas com o sistema imunológico frágil. Dessa maneira, alimentar-se de forma saudável é uma alternativa para evitar estar suscetível a contaminações. Tenha sempre em seu cardápio frutas, verduras, legumes, grãos e carnes magras, tomando cuidado com o excesso de sal e açúcar.

Hidrate a pele

Em épocas como as estações mais frias do ano, é natural que a pele fique mais seca. Quadros como esse podem aumentar a irritação, rachaduras e alergias na superfície cutânea, sendo os lábios, pescoço e bochechas as partes mais atingidas. Mantenha os seguintes cuidados:

  • use cremes ou hidratantes no corpo;
  • evite banhos quentes e demorados;
  • use protetor solar facial mesmo em dias nublados ou frios;
  • hidrate os lábios com protetor labial;
  • diminua o uso de buchas corporais e produtos esfoliantes.

A chegada do outono e inverno deve ser acompanhada dos cuidados acima de forma redobrada. Mantenha-se saudável melhorando seus sistema imunológico e evite situações que possam piorar quadros de doenças já existentes. 

Quer saber mais sobre como manter-se saudável? Então, conheça 10 sinais de alerta para a imunidade baixa!

Powered by Rock Convert