Conheça dez sinais de alerta para a imunidade baixa.

Conheça dez sinais de alerta para a imunidade baixa.

3 de abril de 2020 0 Por admin

O sistema imunológico exerce uma função muito importante na prevenção de microorganismos e agentes invasores como vírus, bactérias e fungos, causadores de doenças. No entanto, quando a imunidade baixa, ou seja, não funciona de maneira adequada, a falha pode permitir que os micro-organismos nocivos invadam o corpo deixando o organismo doente. Mesmo que tenha diversos fatores para sua origem, a imunidade baixa também pode ser prevenida e revertida com algumas mudanças no dia a dia. 

Na maior parte dos casos, esse processo pode ser reversível, contudo, é preciso sempre estar atento para identificar os sinais de alerta da imunidade baixa o quanto antes, melhorando as chances de tratamento e evitando a entrada de novas doenças oportunistas. Para isso, trouxemos no post de hoje 10 sinais de alerta que apontam para a baixa imunidade. Continue a leitura para conferir!

O que é imunidade

A imunidade é um termo comum que intitula uma série de mecanismos presentes no organismo humano, em que sua função é realizar a defesa do corpo contra a invasão de agentes patogênicos como vírus, fungos e bactérias.

Situações que possam parecer muitas vezes comum, a ocorrência de inflamações de garganta ou formações de secreção em certas áreas infectadas, são na verdades alguns sinais da ação do sistema imunológico na tentativa de combater a ação do micro-organismo invasor. Conheça os dois tipos diferentes de imunidade.

Imunidade nata

É denominada imunidade nata aquela que o indivíduo traz desde seu nascimento. Esse tipo de imunidade não conta com memória imunológica, e sua resposta à invasão dos micro-organismos é inespecífica, atacando os patógenos sempre da mesma forma, como primeira e mais rápida linha de proteção. A imunidade nata é constituída por 3 componentes: físico-química (pele, mucosa, cílios), celular (glóbulos brancos e leucócitos) e humoral ( mucosa, sangue e enzima de secreções).

Imunidade adquirida

Por outro lado, a imunidade adquirida diz respeito à adaptações realizadas por organismos para o combate específico de certos patógenos. Nesse caso, podemos citar a memória imunológica, pois, os leucócitos armazenam informações sobre o enfrentamento de determinados invasores, melhorando assim as chances de controlar os micro-organismos em caso de uma nova invasão. 

Esse tipo de imunidade pode ser adquirida após infecção inicial. Além disso, a imunidade pode ser adquirida por meio de vacina, inserindo o patógeno inativado no corpo, para que o mesmo desenvolva anticorpos. 

O que é imunidade baixa

A imunidade baixa, cientificamente chamada de imunodeficiência, ocorre quando o organismo do paciente está com sistema imunológico fragilizado. Em sua maioria, isso ocorre devido à doenças crônicas ou passageiras. Distúrbios de sono e quadros de depressão também podem estar nessa lista. Além disso, hábitos de vida como tabagismo, abuso de álcool, sedentarismo, má alimentação e estresse reduzem as defesas do organismo. 

Riscos da baixa imunidade

A diminuição da imunidade torna o organismo suscetível a infecções virais, bacterianas e outras. Por conta da perda de eficiência no sistema imunológico devido à algumas doenças, a imunidade baixa pode ser tão significativa que o paciente torna-se vulnerável a infecções mais simples.

Doenças que aparecem na baixa imunidade

Algumas doenças podem aproveitar a fragilidade do organismo para se manifestar, como doenças autoimunes, cânceres e infecções diversas. Atacando o corpo quando há comprometimentos de funções imunológicas, podem evoluir e levar o indivíduo a condições críticas de saúde.

As doenças autoimunes, em que o sistema imunológico usa suas próprias defesas para atacar os órgãos e células que deveria defender, afetam principalmente músculos, pele, articulações, glândulas endócrinas, e células sanguíneas.

A AIDS é uma das doenças que propiciam a entrada de infecções oportunistas. Causada pelo vírus do HIV, é a causa mais comum da deficiência imunológica adquirida. Veja outras doenças que podem aparecer em casos de baixa imunidade.

Herpes e bronquiolite

Aproveitando-se da imunidade baixa, o herpes invade o organismo. A reativação do vírus também pode ocorrer em resfriados, exposição ao sol, estresse e outros problemas que afetam o bem-estar emocional. É caracterizada por feridas dolorosas nos lábios, no entanto, pode acometer também outras áreas do corpo, como gengiva, faringe, céu da boca, língua, face e pescoço. A bronquiolite, doença causada por vírus que gera inflamação dos bronquíolos, também está presente em casos de baixa imunidade.

Herpes zoster

A herpes zoster é uma doença infecciosa que ocorre quando o varicela-zoster, vírus causador da catapora, é reativado no organismo humano. Contudo, a doença só se manifesta em indivíduos que mantiveram o vírus no organismo depois do caso de catapora. A imunidade baixa é uma grande desencadeadora da herpes zoster, e sua característica principal é o aparecimento de bolhas com líquido na pele, surgindo em diferentes partes do corpo.

Tuberculose ganglionar 

Doença contagiosa que acomete gânglios linfáticos, a tuberculose ganglionar é percebida na região de pescoço e tórax, e caracterizada pela presença de micro-organismos chamados Mycobacterium Tuberculosis, mesmo causador da tuberculose pulmonar. Indivíduos com baixa imunidade são alvos mais fáceis para essa condição, e seus sintomas vão desde anemia, febre e cansaço até dores no corpo e emagrecimento.

Otite

As infecções de ouvido, chamadas de otite, são desencadeadas por bactérias e ocorrem pela concentração de líquidos. Ao ocorrerem com certa frequência, a otite pode indicar imunidade baixa. Por esse motivo, é importante ficar atento à sintomas como febre recorrente, coceira, dores e secreções.

Causas da imunidade baixa

São diversas as causas que podem ocasionar a baixa da imunidade no organismo humano, por esse motivo, é necessário avaliação médica para diagnóstico e tratamento em todos os casos. Entre as principais causas, estão hábitos nocivos como má alimentação, causando a deficiência de vitaminas e minerais essenciais para o fortalecimento do sistema imunológico, privação de sono, tabagismo, álcool, abuso de drogas e medicamentos, e exposição à temperaturas extremas.

Outra causa é a variação hormonal que pode comprometer o funcionamento das células do sistema imunológico. Isso acontece em com o aumento dos níveis de progesterona na segunda fase do período menstruação, inibindo o sistema imune feminino. Veja a seguir os fatores que contribuem para a queda da imunidade:

  • sono ineficiente;
  • longos períodos de estresse;
  • alimentação deficiente;
  • sedentarismo;
  • variações hormonais;
  • certos medicamentos, como corticóides;
  • algumas doenças, como lúpus eritematoso e câncer;
  • tratamentos, como quimioterapia;
  • obesidade;
  • predisposição genética;
  • gestação.

10 sinais de alerta para imunidade baixa

Não são todas as pessoas que ficam doentes ao entrarem em contato com o patógeno, ou seja, o causador da doença. O que determina essa situação é o sistema imunológico, que pode estar forte ou fraco. Veja a seguir, 10 sinais de alerta para imunidade baixa.

1. Aftas

Quando há a diminuição na imunidade, uma dos primeiros sinais que aparecem no indivíduo é a afta. Caracterizadas por lesões ovaladas cobertas por uma membrana branco- amarelada em uma mancha vermelha, a afta pode surgir acometendo todo o interior da boca, incluindo a língua.

Powered by Rock Convert

2. Cansaço

Sentir-se cansado com frequência também pode significar imunidade baixa. Geralmente, nem mesmo períodos de sono podem ajudar na recuperação. A pessoa além de sentir-se sempre cansada, pode perceber dores nas articulações e músculos.

3. Problemas intestinais

Diarréias que duram mais de duas semanas podem ser sinais de alerta para imunidade baixa, prejudicando o trato intestinal e digestivo. A constipação também pode ser outra preocupação, já que o sistema imunológico baixo pode forçar o intestino a desacelerar, tornando a evacuação difícil.

4. Mãos frias

Os vasos sanguíneos estão diretamente ligados à imunidade baixa. Por isso, resulta em redução do fluxo para as extremidades do corpo, como orelhas, nariz, e dedos. Nessas regiões, a pele pode ficar fria e até mesmo azulada.

5. Queda de cabelo

A queda da imunidade também pode ocasionar no organismo um ataque aos próprios folículos pilosos, causando grande perda de cabelo, chamada clinicamente alopecia, que pode ser temporária ou definitiva. 

6. Erupções cutâneas

A primeira barreira do corpo contra micro-organismos é a pele. Por esse motivo, o aparecimento de erupções cutâneas e feridas podem indicar que o sistema imunológico está deprimido. 

7. Doenças autoimunes

Em doenças autoimunes, o sistema imunológico combate células do próprio organismo, tornando-se imunidade baixa. Em geral, as condições desse tipo apresentam dores, manchas, icterícia, e outros sinais como os listados.

8. Adoecimento constante

Uma pessoa com imunidade baixa pode contrair infecções com mais frequência e facilidade que a maioria das pessoas. Além disso, as essas doenças podem ser mais graves, devido o organismo debilitado. Entre as condições mais comuns que podem acometer constantemente uma pessoa com imunidade baixa, estão amigdalite, estomatite, artrose.

9. Duas ou mais pneumonias no ano

A ocorrência de gripes e resfriados pode ser um sinal de imunidade baixa, assim como a frequência de 2 ou mais episódios de pneumonia. Seus sintomas costumam ser: febre alta, calafrios, perda de apetite, falta de ar, dor no peito, prostração e tosse expectorante. 

10. Episódios de candidíase

Pelo menos 55,7% das mulheres terão incômodos pela candidíase uma vez na vida. O fungo, naturalmente presente no corpo humano, pode encontrar oportunidade no cenário ideal para se proliferar com a imunidade baixa, acontecendo de forma recorrente. Sintomas presentes nessa condição são: coceira, secreção em excesso, e dores.

Como melhorar a imunidade

Ao perceber os sinais e identificar a imunidade baixa, a melhor conduta é procurar atendimento médico. Depois de diagnosticado, o médico indicará as melhores formas de tratamento, que podem variar, incluindo terapia medicamentosa com antibióticos profiláticos, transplante de medula e terapia gênica.

No entanto, melhorar a imunidade muitas vezes não é tão difícil quanto parece. Pequenas mudanças são capazes de realizar uma grande diferença das células de defesa do corpo humano. Acompanhe as principais ações que podem aumentar a imunidade baixa.

Dormir bem

O organismo precisa de energia para combater os micro-organismos nocivos à saúde. Isso é possível com uma adequada quantidade e qualidade de sono. Esse fato pode explicar porque a gripe e outras infecções aumentam a vontade de dormir.

A falta de sono adequado apresenta efeito similar no sistema imune que o estresse, de forma a interromper a produção normal das células de defesa que compõem o sistema imunológico. Recomenda-se que os adultos tenham pelo menos 7 horas de sono ao dia para manter o sistema imune funcionante.

Fazer exercícios

As atividades físicas regulares são extremamente importantes para uma vida saudável, visto a melhoria da saúde cardiovascular, redução da pressão arterial, controle de peso, e prevenção de inúmeras doenças. Assim como bom período de sono, os exercícios contribuem para manter o sistema imunológico saudável, gerando rápidas respostas contra infecções.

Evitar o estresse

Aumentando as chances de adquirir problemas de saúde, o estresse é uma resposta física do organismo que libera substâncias propícias para a baixa imunidade. Por esse motivo, é essencial adotar medidas para reduzir ou controlar o estresse, como meditação, acupuntura, ioga, e outros.

Caprichar na suplementação

A deficiência de algumas vitaminas e minerais pode enfraquecer o organismo, resultando na imunidade baixa. É o caso de vitaminas como A, C, D e E, bem como ácido fólico, zinco e ferro.

Ainda que seja recomendável preferir nutrientes obtidos por fontes alimentares, a suplementação pode ser o caminho mais rápido para melhorar a imunidade, desde que seja prescrita por um médico.

Ter uma alimentação equilibrada

Por fim, uma das principais formas de melhorar a imunidade baixa é por meio de uma alimentação equilibrada. Manter dieta saudável com variados alimentos é uma das melhores maneiras de fortalecer as defesas imunes. Por isso, aposte nos mais variados grupos de alimentos, sempre evitando condimentados, ultraprocessados, açúcares e gordura em excesso.

No post de hoje você conheceu um pouco mais sobre a imunidade baixa, além de 10 sinais de alerta que podem ajudar a identificá-la em seu organismo. Mantenha-se saudável com nossas dicas, e procure assistência médica sempre que perceber a queda de seu sistema imunológico.

Quer saber mais sobre a imunidade? Então, entenda o que é uma clínica de imunologia!

Powered by Rock Convert