Tosse alérgica: dicas para aliviar os sintomas

Tosse alérgica: dicas para aliviar os sintomas

11 de dezembro de 2020 0 Por Editor

A tosse alérgica é uma condição que está presente na vida de muitos. Seja nos meses frios ou com clima um pouco mais quente, é comum escutar alguém tossindo no trabalho, no transporte público, dentro da sala de cinema, e em outros lugares.

É claro que este problema acaba se tornando um pouco desagradável para quem ouve, no entanto, é ainda mais incômodo para quem sofre com a tosse alérgica e não consegue parar de tossir. 

Isso acontece porque a tosse é um mecanismo de defesa do nosso organismo e serve como uma forma de expulsar qualquer substância ou elemento que seja uma irritação, ou esteja tentando irritar nossas vias respiratórias. 

Alguns dos elementos que podem causar esse desconforto são fungos, pelos de animais, perfumes, produtos de limpeza, pólen, poeira e outras inúmeras substâncias. Para que você conheça mais sobre a tosse alérgica, desenvolvemos o post a seguir com informações importantes e dicas para aliviar seus sintomas. Continue a leitura e confira!

O que é tosse?

Antes de conhecer melhor a tosse alérgica, vamos entender o que é a tosse. Esse sintoma extremamente comum é causado por diferentes fatores que podem ser mais simples, como gripes, alergias, irritações, resfriados, refluxo e o uso de substâncias como o cigarro, e também doenças graves. Entre elas, a tuberculose, asma, pneumonia, problemas cardíacos e remédios. 

A reação da tosse acontece quando as vias aéreas sofrem com um bloqueio. Por isso enviam estímulos para o cérebro por meio da traqueia e brônquios. Essa ação causa a contração muscular no diafragma e impede a saída e entrada de ar na glote.

Quais são os tipos de tosse?

A tosse pode existir em diversos casos e podem ser classificados por seu tempo de permanência, origem e quantidade de muco. De acordo com o Ministério da Saúde, uma tosse com 3 semanas de duração é considerada tosse aguda. Já entre 4 e 8 semanas, recebe a classificação de sub aguda e, acima desse período, é chamada de tosse crônica. Conheça os diferentes tipos de tosse.

Tosse seca

Nesse tipo de tosse a manifestação acontece com uma constante vontade de tossir. Contudo, a garganta permanece seca, sem apresentar secreções. Por muitas vezes ela pode permanecer durante vários dias, se agravando quando chega a noite. Entre as principais causas da tosse seca estão as dores de garganta, sinusite, amigdalite e laringite. 

Tosse produtiva

A tosse produtiva é aquela que apresenta secreção e costuma estar associada com alguma infecção do sistema respiratório. A causa da tosse produtiva pode estar ligada a diversas causas, como gripe, pneumonia, sinusite, resfriado ou bronquite. Conhecida como catarro, a secreção é produzida como uma forma de limpar as vias aéreas.

Tosse alérgica

A tosse alérgica é aquela que indica que há um processo alérgico nas vias respiratórias com característica irritativa e sem secreção. Além disso, pode causar coceiras na garganta e em alguns momentos falta de ar. Essa manifestação começa após o contato com substâncias que o sistema imunológico reconhece como uma ameaça para o organismo. 

Tosse crônica

Quando a tosse passa por 2 meses, é chamada de crônica e, quando isso acontece um médico deve ser consultado com certa rapidez, visto que são muitas doenças graves que podem ser a causa dessa reação. 

Como é a tosse alérgica?

A tosse alérgica é aquela caracterizada por ser seca e acontece por conta de reações do organismo e agentes do meio ambiente. A alergia é uma forma de inflamação que pode desencadear o processo como a tosse alérgica. 

Ao entrar em contato com um tipo de substância que seja considerada estranha para o organismo, as células específicas que combatem tais substâncias produzem anticorpos. Esses anticorpos, ao perceberem a entrada da substância estranha, provocam a reação inflamatória. 

Qual sua causa?

O pulmão é o órgão interno com maior contato com o meio externo. Para que o ar respirado entra em contato com o sangue que leva oxigênio e traz gás carbônico, o pulmão conta com uma superfície. Na entrada de ar, ele é aquecido e umidificado e passa por um processo que tem como finalidade grudar nas paredes por onde ele passa as partículas flutuantes. 

Esse é um mecanismo de defesa que auxilia na limpeza dessa estrutura. Ainda assim, os resíduos podem alcançar brônquios, ficando presos nas paredes dessa região. Mesmo que seja revestido por micropelos chamados de cílios, responsáveis por empurrar para fora a secreção junto com a sujeira que nele aderiu, algumas substâncias podem passar e alcançar o pulmão. 

Os maiores agentes causadores das doenças alérgicas comuns na primavera são o pólen, mofo, insetos, como ácaros e baratas, ou alérgenos de animais, como pelos, penas ou saliva. Identificar o fator desencadeante pode ser fácil, basta observar o surgimento de sintomas após o contato com alguns desses causadores. 

Para que essas partículas saiam do órgão, o pulmão se enche de ar e o reflexo da tosse alérgica acontece. Entre os agentes mais conhecidos por provocar essa reação nas pessoas alérgicas, estão:

  • poeira;
  • pólen;
  • pelos de animais;
  • fungos;
  • alimentos;
  • perfumes;
  • produtos de limpeza;
  • poluição;
  • substâncias irritantes, e mais.

É muito comum que a tosse alérgica tenha maior incidência durante a primavera e outono. No entanto, ela também está presente no período de inverno, em que ocorre o acúmulo de substâncias alérgicas no ar por conta da grande concentração de pessoas em locais fechados. 

Hereditariedade

Em relação à predisposição, alguns estudos sugerem um risco maior de desenvolver a enfermidade quando a criança nasce por meio de parto cesariana. Contudo, na maioria das vezes, há o diagnóstico de condições alérgicas nos pais. Desta maneira, o componente hereditário parece se destacar. Conforme a predisposição individual, a pessoa que tiver exposição ao longo do tempo a um determinado alérgico poderá desenvolver indícios típicos de doenças alérgicas. 

Quem faz parte do grupo de risco?

As pessoas que mais estão propensas a desenvolver a tosse alérgica são de todas as faixas etárias. Entretanto, portadores de algum outro tipo de alergia, quando expostos a ácaros, poeira, pelos, poluição e variação de temperatura podem desenvolver a tosse de forma persistente. 

Pessoas que tem em sua família pais com tosse alérgica ou alguma doença respiratória estão mais inclinados a desenvolver também algum desses quadros. Além disso, o tabagismo também pode contribuir para o surgimento desse sintoma. 

Quais são os sintomas?

A tosse alérgica pode ser apresentada como tosse seca sem a presença de secreção, tosse seca persistente ou que ocorre algumas vezes ao dia, tosse irritativa que começa e dura um longo período, e tosse que piora durante a noite. 

Muitas vezes a pessoa pode desenvolver alguma alergia respiratória e não ter conhecimento disso. Por isso, ao apresentar sintomas como esses é importante buscar atendimento com um alergologista para realizar testes de alergia. Entre os sintomas que auxiliam na identificação da tosse alérgica, estão:

Powered by Rock Convert
  • tosse seca sem qualquer tipo de secreção;
  • coceira na garganta
  • tosse que piora no período noturno;
  • lacrimejamento do olho;
  • coriza;
  • espirros;
  • tosse seca persistente;
  • irritação nos olhos, nariz e boca.

Por que a tosse piora a noite?

A tosse alérgica noturna pode ter maior incidência no período noturno por diferentes causas. Entre elas estão os fatores ambientais. O quarto pode ser muitas vezes um ambiente cercado por substâncias alérgenas e, quando fechado, leva ao indivíduo o contato com esses agentes causadores da tosse. Além disso, a irritação na garganta pode se agravar com a pessoa deita, aumentando os episódios. 

Quando pensar em COVID-19?

Causada pelo Novo Coronavírus, a Covid-19 é uma doença que apresenta entre seus principais sintomas respiratórios episódios de tosse seca que podem ser confundidos com a tosse alérgica. 

Contudo, os sintomas mais comuns da Covid-19 são a febre, cansaço, dores no corpo, congestão nasal, corrimento nasal, dores de garganta e diarreia. Em alguns casos, a secreção pode estar presente na tosse, diferenciando-a da tosse alérgica. Entretanto, o sintoma que merece atenção e deve ser considerado grave é a falta de ar. Em situações como essa, é preciso procurar atendimento médico com urgência, visto que a piora no quadro pode ser rápida. 

Como tratar a tosse alérgica?

A tosse alérgica pode ser tratada com diferentes medicamentos, no entanto, sua eficácia pode variar. Xaropes mucolíticos, utilizados para tornar o muco fluido, costumam apresentar pouco resultado.

Broncodilatadores podem ter uma resposta mais eficiente, além disso, drogas que agem no sistema nervoso central e controlam o reflexo da tosse também podem contribuir. Contudo, acabam tratando somente a consequência, e não a causa. 

Antialérgicos podem ser a melhor forma de controlar a tosse alérgica, assim como as infusões medicinais. A inalação deve ser considerada diante do clima seco e poluição do ar. Ela auxilia na umidificação das vias, facilitando o muco a eliminar os agentes irritantes. 

Como saber se você é alérgico?

Existem dois tipos de testes. Para alergias respiratórias fazemos o teste cutâneo de puntura – com gotas do antígeno pesquisado (ácaros, animais, pólen) no braço do paciente – após 15 ou 20 minutos. 

Se o indivíduo for alérgico, aparecerá uma reação com formação de pápula vermelha, com coceira no local da gota. Isso significa que o indivíduo tem anticorpos para aquele antígeno e está sensibilizado.

Esta avaliação também pode ser feita com um exame de sangue – ImmunoCAP. Para as alergias de contato na pele, usamos o teste de contato tardio (Patch test), onde as substâncias suspeitas são colocadas em uma fita adesiva larga que fica grudada por dois dias nas costas do paciente.

Para as alergias a alimentos e medicamentos o melhor teste é o de provocação, que só deve ser indicado e realizado pelo especialista em alergia, pois pode ter reações mais graves.

Como prevenir doenças que causam tosses alérgicas?

Visto o que é um alergologista pediatra e as principais alérgicas tratadas por ele, é importante saber também como essas complicações podem ser evitadas com pequenas mudanças de hábitos em nosso dia a dia. Algumas ações práticas, são:

  • utilizar capa impermeável no colchão;
  • evitar travesseiros de plumas;
  • evitar produtos de limpeza com fortes odores;
  • retirar objetos e itens que acumulam poeira de sala e quarto;
  • utilizar aspirador de pó e pano úmido na casa;
  • evitar animais domésticos dentro de casa;
  • manter casa arejada e ensolarada, com janelas abertas;
  • evitar vazamentos e umidade;
  • evitar tapetes, carpetes e móveis estofados;
  • utilizar capas impermeáveis nos travesseiros;
  • lavar roupas de cama semanalmente;
  • evitar cobertores de lã;
  • evitar cortinas pesadas;
  • manter as vacinas em dia conforme o calendário de vacinação;
  • evitar ambientes fechados sem ventilação;
  • reforçar a limpeza de casa;
  • evitar pelúcias em cima da cama;
  • praticar exercícios regularmente.

Infusões medicinais no tratamento da tosse alérgica

Infusões medicinais são medicamentos biológicos administrados via subcutânea que permitem o fornecimento de fluidos em volumes e taxas precisas. Contudo, além do tipo de aplicação, também a composição do medicamento é diferenciada, por ser o resultado de diversas pesquisas e aperfeiçoamentos realizados via engenharia genética, sendo derivado de anticorpos humanos ou de origem animal, modificados em laboratório genético. 

Dessa forma, as infusões medicinais revolucionam as opções de tratamentos até então disponíveis por sua efetividade, segurança, controle, potencial de atenuar sintomas realmente incômodos e de proporcionar mais qualidade de vida ao indivíduo.

Deve-se ressaltar que, em muitos casos, infusões medicinais são a única forma efetiva de tratamento, sobretudo no contexto de doenças com nível moderado ou grave de avanço. Por isso, estão entre as grandes apostas da medicina para tratar um número cada vez maior de doenças de modo eficiente, seguro, humanizado e cômodo ao paciente.

Novas terapias possibilitam cada vez mais pessoas a ter acesso a tratamentos seguros, eficientes e efetivos para doenças nas mais variadas áreas da saúde, que antes não apresentavam formas de terapia eficaz. 

Resultado de múltiplos estudos e pesquisas em diferentes campos, tais como química, enfermaria, fisiologia, medicina, entre outros setores que buscam cada vez mais especialização nesse nicho de conhecimento, doenças crônicas, por exemplo, já podem ser tratadas por meio de modernas medicações, em ambientes seguros e com o auxílio de profissionais capacitados.

Com a aplicação de fluidos intravenosos, as infusões medicinais são formas de terapia reconhecida por seus benefícios, possibilitando aliviar e lidar com diferentes condições, fornecendo taxas, volumes e intervalos precisos e programados, de acordo com a característica de cada paciente.

Utilizada com frequência na realização de tratamentos mais complexos, especialmente pela segurança trazida pelo processo, por possibilitar controle mais preciso sobre a dosagem e pela velocidade que o medicamento alcança a corrente sanguínea em casos de emergências, as infusões medicinais também são recomendadas para os casos nos quais haja necessidade de administrar os medicamentos de forma lenta e constante. 

As infusões medicinais são usadas com maior frequência para tratar quadros de desidratação. Mas a utilização dessa forma de terapia inclui administração de diferentes compostos, como vitaminas, antivirais, antibióticos e outros. 

O procedimento pode ser usado para condições não crônicas e também para os casos mais complexos, tais como cânceres, artrite reumatoide e insuficiência cardíaca.

Tratamento da Tosse Alérgica na Clínica Croce

Alergia é sempre uma reação exagerada de defesas do organismo contra agentes que não deveriam fazer mal, como, ácaros, pólen ou pelos. O tratamento envolvendo infusões medicinais pode resolver, além da asma, doenças alérgicas como a rinite, conjuntivite alérgica e para anafilaxia por veneno de vespas, marimbondos, abelhas e formigas-de-fogo. 

Ao perceber os sintomas da tosse alérgica como os vistos acima, é fundamental buscar atendimento para o diagnóstico correto e tratamento dos sintomas, como forma de aliviá-los e proporcionar ao indivíduo bem-estar e qualidade de vida. 

Por isso, caso algum destes sintomas sejam identificados, agende sua consulta com a Clínica Croce. Por meio do atendimento via telemedicina é possível ser atendido de qualquer lugar do Brasil, sem a necessidade de estar em São Paulo, cidade sede da clínica.

Powered by Rock Convert