Spray nasal pode viciar? Saiba quais cuidados tomar

Spray nasal pode viciar? Saiba quais cuidados tomar

4 de outubro de 2021 Off Por Editor

Com a baixa umidade do ar, os casos envolvendo problemas respiratórios, como gripes, rinites e resfriados, aumentam. Com isso, o uso de spray nasal entre as pessoas que sofrem com o nariz entupido também aumenta. No entanto, nem sempre essa alternativa é a melhor forma para resolver o problema.

Isso porque as substâncias utilizadas no spray nasal, muitas vezes, podem causar dependência quando seu uso é feito de forma indiscriminada e por um longo período. Na leitura a seguir, conheça um pouco mais sobre o spray nasal e cuidados que devem ser tomados no uso deste medicamento!

Por que o nariz entope? 

A sensação de nariz entupido acontece devido ao inchaço dos vasos sanguíneos da região. Esse inchaço pode ter como causa uma irritação, alergia, vírus ou bactéria. Com a redução do tamanho desses vasos, os medicamentos melhoram a passagem de ar pela narina, fazendo com que a pessoa respire com mais facilidade. 

O uso do spray nasal ajuda a melhorar essa condição, contudo, o efeito é passageiro. Quanto mais potente o remédio, mais forte será a dilatação das veias. Ao ser utilizado sem a prescrição correta e por tempo prolongado, pode ocorrer maior facilidade de dependência, como nos corticoides. Essa dependência pode ser física, química e psicológica, visto que o spray nasal proporciona uma satisfação no respirar. 

O nariz tem como função filtrar o ar que respiramos, como forma de evitar que partículas de poeira e microorganismos nocivos alcancem os alvéolos. Isso só é possível porque as cavidades nasais são revestidas por pelos e cílios microscópicos que, por serem cobertos de muco, ajudam a umedecer todo o sistema respiratório e carregar elementos estranhos para fora do corpo. 

Além disso, o nariz apresenta extensa cadeia de vasos sanguíneos que ajudam a aquecer o ar para chegar em temperatura adequada aos pulmões. Assim, o nariz é responsável por melhorar a qualidade do ar que respiramos. 

No entanto, algumas condições infecciosas, inflamatórias, alérgicas e até mesmo anatômicas, podem interferir na passagem do fluxo de ar, provocando congestão nasal, ou seja, o nariz entupido.

Na verdade, o entupimento do nariz é um mecanismo de defesa do organismo para impedir a entrada e o transporte de elementos nocivos para outros órgãos das vias aéreas.

Quando um agente agressor irrita na região nasal, os vasos sanguíneos se dilatam, aumentando o volume de sangue e provocando o inchaço dos cornetos (tecido esponjoso localizado nas paredes laterais da cavidade nasal). Isso acaba obstruindo a passagem do ar, sinal de que o sistema imunológico está tentando livrar-se do agressor.

A dificuldade para respirar causada pelo nariz entupido traz bastante desconforto. Por isso, ao primeiro sinal deste sintoma, é comum que a pessoa recorra ao uso do spray nasal. 

Ao serem utilizados com critério, sob orientação médica e por prazo determinado, eles podem proporcionar alívio quase imediato, visto que contam com substâncias vasoconstritoras em sua fórmula. 

Dessa forma, o resultado do uso é a contração dos vasos, diminuição do fluxo sanguíneo e da produção de muco, melhorando a condição para uma respiração adequada.

Ainda que apresente tais benefícios, o spray nasal não está livre de efeitos adversos. Afinal, seu uso contínuo pode causar graves consequências ao organismo. 

O que é o spray nasal?

O spray nasal, conhecido como descongestionante nasal, é um medicamento de ação vasoconstritora. Ou seja, ele faz com que os vasos sanguíneos se contraiam, reduzindo seu volume. De forma geral, são indicados para obstrução nasal aguda e em alguns procedimentos pós-operatórios. 

Para que serve o spray nasal?

De uso tópico, em forma de spray, essas substâncias diminuem o volume dos cornetos nasais, órgãos esponjosos com grande quantidade de vasos sanguíneos. Como os vasos se destacam em um processo de inflamação nasal, acabam aumentando o volume dos cornetos e causando obstrução nasal. O papel do spray nasal é realizar a contração destes vasos sanguíneos. 

Riscos do uso contínuo de descongestionantes nasais

Ao se encontrar em uma situação de obstrução nasal, algumas pessoas passam a utilizar o spray nasal em busca de alívio. Como o tempo de início de ação destas substâncias é rápido, e o efeito é de grande conforto respiratório, a pessoa fica propensa a utilizar o spray nasal novamente. 

Em poucos dias de uso, geralmente após 5 dias, o ciclo de dependência já pode se instalar, com uma vasodilatação de rebote nos cornetos nasais, que vão se tornando cada vez mais inchados. O indivíduo então, passa a necessitar o uso do produto em intervalos cada vez menores, com doses maiores, de modo a conseguir o mesmo nível de conforto respiratório. 

Os riscos do uso contínuo deste medicamento não são pequenos. Além das complicações locais, como ressecamento nasal, formação de crostas, rinite medicamentosa e, em alguns casos, perfuração de septo nasal, podem ocorrer efeitos sistêmicos, tais como taquicardia e elevação da pressão arterial.

Além disso, a qualidade do sono também pode ser prejudicada, visto que muitas pessoas acabam despertando durante à noite com necessidade de utilizar o spray nasal para conseguir algum conforto para respirar. Isso resulta na fragmentação do sono e, consequente, fadiga diurna.

Como usar o spray nasal?

Os médicos otorrinolaringologistas indicam o uso do spray nasal em casos específicos e por breves períodos para tratamento. Por isso, o medicamento deve ser usado de acordo com as doses indicadas, sem ultrapassar o período de cinco dias. 

Quando esse medicamento é indicado?

Spray nasal

O spray nasal é indicado para situações que causam o entupimento do nariz. Assim, a rinite não é a única indicação de uso. Para sinusite, gripe e resfriado, o spray nasal também pode ser indicado, melhorando a qualidade de vida. Em casos específicos, os descongestionantes podem ser indicados, por meio de receita, para um tratamento que não ultrapasse cinco dias.

Riscos do uso sem controle

Apesar de aliviar a congestão rapidamente, o spray nasal causa a vasoconstrição “artificial”. Por isso, logo os vasos sanguíneos voltam a se expandir e a deixar o nariz entupido. Neste processo, a pessoa precisa utilizar o remédio constantemente para respirar melhor, e acaba usando quantidades maiores do descongestionante. 

O uso indiscriminado e sem acompanhamento médico do spray nasal pode irritar a mucosa do nariz e, em alguns casos, elevar a pressão arterial, já que o medicamento atua como um vasoconstritor.

Dessa forma, o uso contínuo dos descongestionantes nasais pode ter consequências graves no organismo. Entre elas está o efeito rebote. Ainda que a ação do spray seja rápida, a sensação de alívio é passageira. 

Após algum tempo, com o nariz novamente entupido, a pessoa aumenta a frequência de uso e dose. Esse grau de dependência resulta no distúrbio chamado rinite medicamentosa ou vasomotora.

O principal sintoma da rinite medicamentosa é o nariz entupido provocado por alterações na mucosa nasal, levando à perda da capacidade de contrair e dilatar os vasos sem o spray nasal.

Outro problema é que a ação dos descongestionantes nasais não se limita ao alívio do nariz entupido. O uso contínuo do medicamento leva parte da substância vasoconstritora presente na composição do medicamento a ser absorvida pela mucosa. 

Dessa forma, ela cai na corrente sanguínea e alcança o sistema cardiovascular, representando uma sobrecarga para o coração. Casos de arritmia cardíaca, taquicardia, hipertensão arterial, trombose, tonturas e dor de cabeça são alguns dos efeitos colaterais que essa droga pode causar em órgãos distantes.

Também é importante lembrar que, além do spray nasal, muitos comprimidos indicados para alívio dos sintomas das gripes e resfriados possuem substâncias vasoconstritoras em sua fórmula. Isso pode potencializar os efeitos indesejáveis da droga, incluindo a perda do olfato e perfuração do septo.

Além disso, em crianças pequenas, o uso do spray nasal sem acompanhamento médico pode ter consequências desastrosas, visto que pode causar depressão do sistema cardiorrespiratório, levando à morte. 

Por desconhecimento ou desinformação, muita gente recorre aos descongestionantes nasais, sem necessidade, como forma de se livrar do incômodo provocado pelo nariz entupido. 

Em grande parte dos casos, o tratamento da congestão nasal independe do uso desses medicamentos. É mais importante manter a hidratação nasal. Dessa forma, a aplicação de soro fisiológico nas narinas, várias vezes por dia, ajuda a manter a mucosa bem hidratada e livre de microorganismos nocivos. Da mesma maneira, usar umidificadores de ambientes contribui para a hidratação.

Outra dica importante é evitar a exposição ao ar-condicionado, responsável por ressecar o ar, assim como ingerir bastante líquido para melhorar a diluição do muco. 

Contudo, o mais importante é evitar a automedicação, procurar assistência médica se a congestão nasal for persistente ou estiver acompanhada de secreção densa e amarelada ou sangramento.

Importância da prescrição médica para uso do spray nasal

O uso pontual de medicamentos, ou seja, utilizar medicamentos em situações que acontecem de vez em quando, é apoiado pela OMS (Organização Mundial da Saúde). Afinal, se toda vez que sentíssemos um desconforto fossemos ao hospital, as instituições não dariam conta da alta demanda.

Entretanto, é fundamental ressaltar que o apoio diz respeito somente ao uso pontual. Dessa forma, ao perceber a necessidade de tomar medicamentos continuamente, é importante conversar com um médico a respeito da frequência desse uso.

 O uso de medicamentos sem prescrição médica apresenta, além do risco de morte, a chance de tornar a pessoa suscetível a várias complicações. Entre elas, reações alérgicas, intoxicação e até mesmo dependência.

A automedicação também pode, de acordo com o caso, agravar um quadro de saúde existente. Portanto, o uso irracional de medicamentos pode causar o agravamento de uma doença, uma vez que a utilização indevida pode fazer com que determinados sintomas desapareçam. Assim, o diagnóstico pode ser mascarado, prejudicando o tratamento. 

Quais cuidados é preciso ter com este medicamento?

Segundo a pesquisa realizada pela IMS Health o spray nasal vem ocupando as primeiras posições dos remédios mais vendidos no Brasil. Afinal, promove o alívio da congestão nasal de forma rápida. 

Entretanto, vimos que, ao ser consumido sem moderação, pode trazer graves consequências ao organismo do indivíduo. Para evitar que isso aconteça, conheça cinco cuidados que você deve ter ao fazer uso deste medicamento.

1. Evite o uso prolongado

Pela possibilidade de comercialização sem necessidade de prescrição médica, o spray nasal pode parecer um medicamento inofensivo. No entanto, podem ser bastante perigosos. 

Na fórmula estão presentes substâncias como a nafazolina, a fenoxazolina e a oximetazolina, conhecidas por causar dependência química e ter curto efeito desobstrutor.

Em pessoas saudáveis, sem rinite ou outro tipo de inflamação que exige o uso do spray nasal, a higienização das narinas pode ser feita com soro fisiológico 0,9% ou no banho, facilitando a limpeza.

2. Saiba como aplicar o spray nasal de forma correta

O spray nasal de uso tópico é apresentado em duas formas: gotas e nebulizadores. Esse medicamento deve ser administrado de maneira correta, para garantir maior eficácia do seu tratamento e evitar riscos à saúde. 

Assim, para utilizar a versão em gotas, é importante reclinar a cabeça para trás, levantando lentamente o queixo. Em seguida, basta pingar as gotas, de acordo com o indicado pelo médico, em cada narina. 

Logo após, gire suavemente a cabeça para os lados, garantindo que toda a mucosa tenha contato com a medicação. Permaneça na posição por três minutos para evitar que o líquido desça para a garganta. Afinal, o objetivo é a lubrificação das narinas. 

Já na versão spray, o uso deve ser feito com a cabeça ereta, olhando para frente. Posicione o medicamento em posição vertical, com a ponta na entrada de uma narina, enquanto tampa a outra.

Enquanto aplica a medicação, inspire. Em seguida, remova o spray do rosto antes de aliviar a pressão no frasco, evitando a contaminação do medicamento com secreções presentes no nariz.

3. Use apenas quando for realmente necessário

O uso do spray deve ser feito apenas em caso de entupimento nasal grave ou quando indicado por médico. A automedicação oferece sérios riscos para a saúde. Além disso, ao usar o medicamento sem necessidade, é possível criar dependência.

4. Saiba se o uso é seguro

O spray nasal é contraindicado para pessoas com sensibilidade a alguma substância presente em sua fórmula. Um exemplo são as grávidas, que não podem utilizar medicamentos vasoconstritores. 

Para crianças menores de seis anos, não devem ser usados sprays que contenham medicamentos como pseudoefedrina, oximetazolina, fenilefrina e xilometazolina. Já em crianças com idade entre 6 e 11 anos, é importante perguntar ao médico se o uso destes descongestionantes é seguro.

5. Consulte um médico

Por fim, o principal cuidado para utilizar spray nasal é buscar atendimento médico, garantindo que o uso seja feito somente após avaliação, diagnóstico e prescrição médica. Além disso, é importante usar o medicamento apenas nos dias indicados.

Principais dúvidas sobre o spray nasal

O spray nasal desperta muitas dúvidas em relação ao seu uso. Isso porque sua venda é liberada, sem a necessidade de prescrição médica. Por causa disso, é grande a desinformação sobre suas consequências e riscos. Acompanhe as principais dúvidas relacionadas a este medicamento.

O spray nasal vicia?

Sim. O spray nasal apresenta em sua fórmula medicamentos produzidos a partir de substâncias como a oximetazolina, nafazolina e xilometazolina, que podem causar a dependência.

Descongestionantes nasais causam hipertensão arterial e taquicardia?

Por possuírem efeitos semelhantes aos da adrenalina, os sprays nasais podem realmente ser a causa de distúrbios como taquicardia, aumento da pressão arterial e arritmia.

O uso constante de sprays nasais pode matar?

Assim como o risco de desenvolver arritmia, hipertensão e taquicardia, o uso indevido do spray nasal pode resultar em uma parada cardíaca, causando a morte da pessoa.

Crianças podem usar descongestionantes nasais?

Crianças menores de seis anos não devem usar tais medicamentos, pois podem apresentar as mesmas reações dos adultos. Contudo, devido ao menor peso em relação a um adulto, ela pode ter as consequências com maior intensidade.

Idosos podem usar descongestionantes nasais?

Sim. No entanto, o medicamento deve ser utilizado com maior cautela nessa faixa etária, visto que é o período da vida em que geralmente estão presentes outras doenças, como condições cardíacas e hipertensão.

Existem descongestionantes nasais naturais?

Não, os sprays nasais são desenvolvidos a partir de medicamentos. Entretanto, o uso de soro fisiológico é uma alternativa para melhorar a hidratação das narinas, principalmente em crianças e idosos.

A utilização de descongestionantes nasais por mais de cinco dias pode causar alguma doença?

Sim. Um dos efeitos colaterais do uso continuado dos sprays nasais é o desenvolvimento da sinusite medicamentosa.

Na leitura de hoje, você pôde conhecer melhor o spray nasal, a importância de utilizá-lo somente com prescrição médica, os riscos do uso indiscriminado e as alternativas naturais que podem substituir seu uso, melhorando sintomas de congestionamento nasal.

Gostou deste artigo? Então, continue lendo mais sobre alergologia no blog da Clínica Croce!