Herpes Zóster – Clínica Croce disponibiliza vacina para combater a doença e oferece atendimento para esclarecer dúvidas de pacientes

Ela chega como uma surpresa desagradável. No início, pode causar febre, mal estar e cansaço, mas o aparecimento de lesões localizadas já dá os indícios de que está a caminho. É assim que o Herpes Zóster manifesta-se no organismo, uma infecção ocasionada pelo mesmo vírus que causa a catapora.  Trata-se de uma reativação deste vírus, com o qual muitas pessoas têm contato nos primeiros anos de vida e que permanece latente (adormecido).

A doença, conhecida popularmente como cobreiro, acomete, principalmente, pessoas acima dos 50 anos de idade. Pesquisas americanas apontam que 1 entre cada 3 pessoas pode desenvolvê-la.

“À medida que envelhecemos, ou em situações que nosso sistema imunológico fica fragilizado, aumenta a possibilidade de ativação destes vírus e desenvolvimento da doença, que tem uma grande preferência pelo trajeto de nervos e comprometimento da pele, podendo ter como sequela uma importante dor, conhecida como neuralgia herpética”, explica a Dra. Ana Paula Moschione Castro, alergista e imunologista da Clínica Croce.

Sintomas

Os pacientes que manifestam a doença podem apresentar um vermelhão na pele, que rapidamente evolui para pequenas bolhinhas, que se transformam em feridas com crostas e secreção. “Os sintomas mais desagradáveis são a dor e a sensação de queimação, que podem persistir mesmo após o desaparecimento das lesões”, aponta a médica.

Tratamento

O Herpes Zóster pode ser tratada com medicações que controlam a multiplicação do vírus e que minimizam os sintomas, sua intensidade e diminuem as chances da neurite.  Embora seja difícil o diagnóstico precoce, por ser uma doença silenciosa, quando feito desde o início, o tratamento é mais eficaz.

Prevenção

A chegada da vacina para combater a doença aqui no Brasil fez com que o tema ganhasse repercussão e novas campanhas de conscientização e de prevenção fossem  lançadas. Embora ainda não disponível no sistema público de saúde, a vacina surgiu como um importante avanço, capaz de diminuir, significativamente, a manifestação da doença. Além de disponibilizar a vacina, a Clínica Croce, conta com uma enfermeira que fica de plantão 8 horas por dia para esclarecer as dúvidas com relação à imunização, além de oferecer um serviço médico que pode auxiliar as dúvidas referentes às imunizações.

“Recomenda-se que a vacina seja aplicada em pessoas com idade acima dos 50 anos, mas é importante que o médico seja consultado para orientar os casos de indicação”, alerta a Dra. Ana Paula.

 

Compartilhe