1º de Outubro – Dia Internacional do Idoso

Saiba quais as vacinas indicadas após os 60 anos

O Dia 1º de outubro foi instituído, em 1991, pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o Dia Internacional do Idoso, com o objetivo de alertar as pessoas quanto aos cuidados necessários com a população idosa. Tendo em vista que está fase da vida é um dos momentos mais delicados do ser humano, a atenção redobrada com a saúde é necessária, uma vez a imunidade tende a diminuir com o passar dos anos. Estar em dia com as vacinas recomendadas para esta etapa é uma das formas de garantir um envelhecimento mais saudável.

Listamos, abaixo, as principais vacinas recomendadas após os 60 anos de idade:

• Herpes Zoster (indicada a partir dos 50 anos)
Recomendações: Vacina recomendada mesmo para aqueles que já apresentaram quadro de herpes zóster. Nesses casos, aguardar intervalo mínimo de um ano, entre o quadro agudo e a aplicação da vacina. Em caso de pacientes com história de herpes zóster oftálmico, não existem ainda dados suficientes para indicar ou contraindicar a vacina. Uso em imunodeprimidos: a vacina não deve ser empregada em indivíduos com estado de imunodeficiência primária ou adquirida ou em uso de terapêuticas em posologias consideradas imunossupressoras.

Como deve ser tomada: Sob recomendação médica.

• Influenza
Recomendações: Indicada para prevenir a gripe. Em idosos, a gripe pode desencadear quadros respiratórios mais graves, podendo causar pneumonia, inflamação das vias aéreas ou doença crônica pulmonar, por exemplo.

Quando deve ser tomada: 1 vez por ano, de preferência, antes do início do Outono.

• Pneumocócica
Recomendações: Indicada para prevenir Infecções causadas pela bactéria Streptococcus pneumoniae, responsável por doenças graves como pneumonia, meningite ou septicemia que é uma infecção generalizada do organismo.

Como deve ser tomada: 3 doses – 1 dose da vacina pneumocócica conjugada 13 + 1 dose da vacina pneumocócica 23 2 meses depois + 1 dose da vacina pneumocócica 5 anos depois.

• DTPA
Recomendações: Indicada para prevenir difteria, tétano e coqueluche

Como deve ser tomada: vacina está recomendada mesmo para aqueles que tiveram a doença, já que a proteção conferida pela infecção não é permanente. • Considerar antecipar reforço com dTpa para cinco anos após a última dose de vacina contendo o componente pertussis para idosos contactantes de lactentes.

• Hepatite A e B
Recomendações: Na população com mais de 60 anos é incomum encontrar indivíduos suscetíveis. Para esse grupo, portanto, a vacinação não é prioritária. A sorologia pode ser solicitada para definição da necessidade ou não de vacinar. Em contactantes de doentes com hepatite A, ou durante surto da doença, a vacinação deve ser considerada.
Como deve ser tomada: Três doses

• Tríplice Viral (sarampo, caxumba e rubéola) – SCR
Recomendações: Na população com mais de 60 anos é incomum encontrar indivíduos suscetíveis ao sarampo, caxumba e rubéola. Para esse grupo, portanto, a vacinação não é rotineira. Porém, a critério médico (em situações de surtos, viagens, entre outros), pode ser recomendada. Containdicada para imunodeprimidos.

Como deve ser tomada: Está indicada em situações de risco aumentado já que a maioria das pessoas nessa faixa etária não é suscetível à essas doenças.

Fonte de pesquisa: Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm)

 

Compartilhe