Conheça as principais doenças tratadas com infusões medicinais

Conheça as principais doenças tratadas com infusões medicinais

9 de julho de 2019 0 Por admin

Quando você ouve falar ou lê a respeito das infusões, provavelmente faz associações com bebidas, especialmente os chás, que podem ser utilizados para, entre outras coisas, auxiliar no tratamento de doenças, certo? 

Isso é mais comum do que você pensa! 

Inclusive, ao realizar uma breve pesquisa pelos principais buscadores da internet ou mesmo perguntar para alguns conhecidos, as primeiras respostas obtidas muito possivelmente estarão relacionadas com esse mesmo entendimento.

Embora a imersão de ervas, raízes e folhas na água seja uma espécie de tradição popular para a cura de certos males, ela não tem relação direta com as chamadas infusões medicinais. Essas consistem na administração de medicamentos intravenosos ou subcutâneos em pacientes, a fim de viabilizar e otimizar os seus tratamentos de saúde.

A técnica é bastante utilizada em casos nos quais o paciente não consegue tomar um remédio via oral devido à sua condição ou, ainda, quando os ácidos estomacais possam prejudicar a efetividade do medicamento quando engolido.

As infusões medicinais surgem, então, como uma forma mais eficaz de administrar a medicação no paciente e de obter melhores resultados com diferentes tratamentos. Mas você sabe em quais casos elas são indicadas?

Neste artigo, vamos apresentar as principais doenças tratadas com infusões medicinais e de que forma essa técnica pode ser o diferencial para se conseguir resultados superiores aos dos métodos mais convencionais. Acompanhe a seguir e tire suas dúvidas sobre o tema!

Afinal, por que as infusões medicinais são usadas no tratamento de diversas doenças?

O avanço das novas terapias possibilita que cada vez mais pacientes possam ter acesso a tratamentos mais modernos, seguros, ágeis e eficientes para doenças nas mais variadas áreas da medicina.

Evidentemente, isso é resultado de múltiplos estudos e pesquisas em diferentes áreas, tais como química, enfermaria, fisiologia, medicina, entre outros setores que buscam cada vez mais especialização nesse nicho de conhecimento.

Assim, doenças crônicas, por exemplo, já podem ser tratadas por meio de modernas medicações, em ambientes seguros e com o auxílio de profissionais extremamente capacitados.

Nesse contexto, a aplicação de fluídos por via intravenosa é uma forma e uma terapia já reconhecida pelos seus benefícios e que possibilita aliviar e lidar com diversas condições. As infusões medicinais são fornecidas em taxas, volumes e intervalos precisamente programados e de acordo com as características de cada indivíduo.

Tal terapia é utilizada com frequência na realização de tratamentos mais complexos, especialmente pela segurança trazida pelo processo, pelo fato de possibilitar um controle mais preciso sobre a dosagem e, também, pela velocidade que o medicamento alcança a corrente sanguínea em casos de emergências, quando comparada a dos remédios orais.

Ainda as infusões medicinais também são recomendadas para os casos nos quais haja necessidade de administrar os medicamentos de forma lenta e constante. Além disso, para pacientes que precisam receber as drogas de forma controlada durante um longo período de tempo, o gotejamento feito por meio de uma bomba de infusão também surge como uma boa e eficiente alternativa.

Quais são as doenças que podem ser tratadas com infusões medicinais?

As infusões medicinais são utilizadas com maior frequência para o tratamento de quadros de desidratação. Mas a utilização dessa forma de terapia inclui a administração de diferentes compostos, como vitaminas, antivirais, antibióticos e outros. O procedimento pode ser utilizado tanto para condições não crônicas quanto para os casos mais complexos, tais como cânceres, artrite reumatoide e insuficiência cardíaca, como veremos a seguir:

1. Câncer

O sistema imunológico desempenha uma função muito importante: a de preservar as células normais do corpo e de eliminar as anormais, como os corpos externos que nos atacam, sendo esses vírus ou bactérias. Para conseguir desempenhá-la, são utilizados pontos de verificação que dão início a uma resposta imunológica, ativando ou desativando células.

As células cancerígenas fazem uso desses mesmos pontos de verificação para evitar que sejam atacadas pelo sistema imunológico. E para combater estas células e ajudar no processo, as infusões medicinais surgem como uma excelente alternativa a fim de restabelecer as atividades de combate.

Nesse contexto, é bastante comum que pacientes de tratamentos quimioterápicos experimentem sintomas desagradáveis, tais como náuseas e vômitos. Esse quadro pode ser agravado pela administração de medicamentos via oral e ainda resultar em uma intolerância à ingestão do remédio.

Para lidar com essa situação, as infusões medicinais são a forma mais eficaz de tratamento e traz benefícios bastante consistentes para esses pacientes, suavizando tais sintomas e, ainda, possibilitando mais praticidade e conforto para a administração da medicação.

2. Insuficiência cardíaca congestiva

A insuficiência cardíaca congestiva é uma síndrome de disfunção ventricular que provoca falta de ar, fadiga e acúmulo de líquidos abdominais e periféricos.

O diagnóstico dessa condição é clínico e o tratamento inclui educação do paciente quanto à necessidade de melhorar seus hábitos, além do uso de diuréticos, inibidores da ECA (enzima de conversão da angiotensina), bloqueadores do receptor de angiotensina II, betabloqueadores, antagonistas da aldosterona, digitálicos, marcapassos implantáveis especializados e outros dispositivos de correção da doença.

As infusões medicinais podem também ser utilizadas nos quadros nos quais o paciente não obtenha resultados com a terapia convencional ou que esteja apresentando efeitos adversos. Além disso, a velocidade com a qual o medicamento alcança a corrente sanguínea na infusão medicinal é um diferencial em casos de emergência.

3. Doença de Crohn

Essa doença inflamatória crônica pode atingir qualquer parte do trato gastrointestinal. O tratamento da doença de Crohn tem como objetivo principal controlar a inflamação e proporcionar a cicatrização do intestino.

Quando apresentam essa condição, os pacientes podem sofrer com dores e sensibilidade abdominal, perda de peso, febre, sangramento retal, além de diarreia frequente.

Tal doença pode ser tratada com infusões medicinais nos casos em que o paciente seja intolerante ao uso de corticoides, imunossupressores e outros medicamentos que podem provocar inflamações. Além disso, a aplicação de medicamentos por via intravenosa proporciona mais segurança, conforto e comodidade ao paciente.

O uso de infusões medicinais ajuda, ainda, a reduzir os sinais e sintomas da doença, a manter a remissão, a induzir a cicatrização, a reduzir as drenagens de fístulas e a melhorar a qualidade de vida do paciente.

4. Hemofilia

A hemofilia é uma doença que pode ser caracterizada como um distúrbio genético marcado por defeitos na produção dos fatores de coagulação do sangue. O processo de cicatrização é muito complicado nesses quadros, fazendo com que os indivíduos sofram grandes perdas de sangue, mesmo quando apresentam ferimentos leves e superficiais.

Powered by Rock Convert

Para evitar quadros de hemorragias, a melhor opção é estimular o processo de coagulação, por meio de infusões medicinais.

5. Deficiências imunológicas

Nem sempre o nosso sistema imunológico opera como uma engrenagem perfeita. Algumas pessoas apresentam alterações, que fazem com que sofram, por exemplo, com infecções graves.

A administração de infusões medicinais em pacientes que nasceram ou perderam a capacidade do sistema imunológico de combater doenças infecciosas resulta em mais qualidade de vida, por meio da aplicação contínua de antibióticos ou da aplicação intravenosa de imunoglobulina para repor anticorpos que não são adequadamente produzidos pelo organismo.

6. Doenças autoimunes

Um dos principais caminhos do futuro da medicina é o tratamento imunobiológico. Os avanços nesse segmento são notáveis e permitem que as doenças autoimunes, como o lúpus eritematoso sistêmico, a artrite reumatóide e a própria doença de Crohn, sejam combatidas de forma bastante moderna e eficiente.

As infusões medicinais da terapia imunobiológica reproduzem os efeitos de substâncias fabricadas pelo sistema imunológico, agindo diretamente no processo inflamatório. O fato de serem produzidos por meio de células vivas faz com que esse tratamento tenha resultados muito mais significativos do que aqueles alcançados por meio do uso de remédios tradicionais.

Assim, com esse tratamento, é possível modificar e até mesmo inibir a evolução da doença, favorecendo a qualidade de vida dos pacientes.

7. Esclerose múltipla

A esclerose múltipla é uma doença neurológica crônica que afeta o sistema nervoso central do indivíduo. As células dos pacientes que sofrem com essa enfermidade invertem seu papel e, ao invés de atuarem na proteção do sistema de defesa, passam a agredi-lo, o que resulta em inflamações que afetam o seu sistema nervoso central. Desse modo, resultando em problemas na visão, sensibilidade do corpo, força muscular, na mobilidade, entre outros.

O tratamento com infusões medicinais é bastante eficiente para tratar a esclerose múltipla, já que ajuda a melhorar as manifestações da doença e permite que a administração dos medicamentos seja rápida e prática, eliminando a necessidade de internações e possibilitando que os pacientes retornem para o conforto do lar no mesmo dia.

8. Artrite reumatoide

A artrite reumatoide é uma doença autoimune crônica, que provoca inflamações nas juntas. Isso faz com que os pacientes apresentem quadros de dor, inchaço e limitação de movimentos nos joelhos e pulsos. Embora não haja uma cura para essa condição, é possível ter uma vida livre de sintomas com um bom tratamento e o uso de medicamentos no longo prazo.

Nesses tipos de casos, as infusões medicinais permitem que os pacientes recebam medicamentos imunobiológicos que atuam nas proteínas envolvidas no processo inflamatório e nas células do sistema imunológico. E um dos principais benefícios do tratamento para o cotidiano do paciente é o fato de que, após receber a infusão, ele poderá retomar suas atividades usuais.

9. Asma

A asma é uma doença crônica que afeta os brônquios. Essa condição é caracterizada por crises, nas quais ocorre uma forte contração dos músculos responsáveis pela abertura e pelo fechamento dos brônquios.

Existem diversos eventos que podem desencadear uma crise asmática, como as condições metrológicas, a hereditariedade e a existência de outras condições alérgicas. Aproximadamente 70 a 80% das pessoas que têm asma são alérgicas. Embora essa seja uma doença de longa duração, ela apresenta períodos de piora e de melhora – que, às vezes, não geram a manifestação de nenhum sintoma aparente.

O tratamento da asma é baseado principalmente na utilização de dois tipos de medicamentos: broncodilatadores e anti-inflamatórios, como a cortisona. Nesses casos, o uso de infusões medicinais pode ajudar a reduzir o número de ataques de asma, aumentando a qualidade de vida dos pacientes.

10. Alergias

Uma alergia é sempre uma reação exagerada das defesas do organismo contra agentes que, a princípio, não deveriam fazer mal, como, ácaros, pólen ou pelos – todos presentes dentro da nossa própria casa. Cerca de 35% da população mundial já apresenta algum tipo de alergia e as previsões é de que, em apenas algumas décadas, metade das pessoas  apresentem algum tipo de sintoma.

O tratamento envolvendo infusões medicinais pode resolver, além da asma já mencionada no item acima, doenças alérgicas como a rinite, conjuntivites alérgicas e para anafilaxia por veneno de vespas, marimbondos, abelhas e formiga de fogo. Já situações como alergias a medicamentos, alimentos, dermatites de contato e urticária não podem ser tratadas com a infusão medicinal.

Quais medicamentos são comumente administrados por meio de infusões medicinais?

O tratamento de doenças feito por meio de infusões medicinais cresceu significativamente nos últimos anos. Atualmente, há uma variedade muito maior de medicamentos oferecidos por meio intravenoso que podem tratar diferentes condições.

Quadros de pacientes que apresentam infecções crônicas, graves ou ainda que não respondem a antibióticos orais, podem apresentar melhores respostas. Além disso, essa técnica pode reduzir o desconforto e a dor do paciente em comparação a outras soluções.

As infusões medicinais trazem mais praticidade aos pacientes, permitindo que eles recebam uma terapia de forma mais prática e rápida, reduzindo o tempo e os danos associados à hospitalização.

Esses fatores fazem com que as infusões medicinais sejam uma forma de tratamento cada vez mais importante e central para o combate de diversos tipos de doenças. Com a evolução da tecnologia e dos serviços de farmacologia e enfermagem especializados, novas opções de medicamentos são desenvolvidas para melhorar cada vez mais a saúde dos pacientes e oferecer um tratamento mais humanitário.

A lista de medicamentos que são comumente administrados por meio de infusões medicinais inclui:

  • Abatacepte (Orencia®): indicada para artrite reumatoide (AR) moderada a grave e artrite idiopática juvenil (AIJ);
  • Ácido Zoledrônico (Aclasta®, Blaztere® e Zometa): para metástases ósseas e prevenção da perda óssea decorrente do tratamento antineoplásico à base de hormônios em pacientes com câncer de próstata ou câncer de mama;
  • Adalimumabe (Humira®): para artrite reumatoide, artrite psoriásica, espondilite anquilosante, doença de Crohn e psoríase;
  • Belimumabe (Benlysta®): para lúpus eritematoso sistêmico (LES) ativo;
  • Canaquinumabe (Ilaris®): para a Síndrome Periódica Associada ao Receptor do Fator de Necrose Tumoral (TRAPS) e a Síndrome da Hiperimunoglobulinemia D;
  • Certolizumabepegol (Cimzia®): para doença de Crohn, artrite reumatoide, artrite psoriásica, espondiloartrite axial e espondilite anquilosante (EA).
  • Denosumabe (Prolia®, Xgeva®): para osteoporose pós-menopáusica, perda óssea em pacientes submetidos à ablação hormonal contra câncer e osteoporose masculina;
  • Densis: também para osteoporose em mulheres na pós-menopausa e para estimular o aumento da densidade óssea;
  • Dupilumab (Dupixent®): para dermatite atópica.
  • Ferro injetável (Noripurum®, Ferinject®): para anemias ferropênicas graves.
  • HIDS: para deficiência da mevalonato quinase (MKD) e febre familiar do mediterrâneo (FMF);
  • Ibandronato de Sódio (Bonviva®): indicado para o tratamento da osteoporose;
  • Infliximabe (Remicade®): para artrite reumatoide, espondilite anquilosante, artrite psoriásica, psoríase em placa, doença de Crohn e colite ou retocolite ulcerativa;
  • Mepolizumab (Nucala®): indicado para asma;
  • Omalizumabe (Xolair®): para asma e urticária crônica espontânea (UCE);
  • Rituximabe (MabThera®): para linfoma não Hodgkin, artrite reumatoide, leucemia linfoide crônica, granulomatose com poliangiite e poliangiite microscópica.

Naturalmente, no momento de prescrever tais tratamentos, o médico responsável também levará em conta as interações medicamentosas – condição que ocorre quando dois ou mais remédios são utilizados concomitantemente. Nesse tipo de situação, um medicamento pode gerar alteração na intensidade do efeito do outro, criando uma combinação que pode ser nociva ao tratamento do paciente, gerando efeitos adversos.

Essa é uma das justificativas que mostram o perigo da automedicação. Somente deve-se administrar – seja oralmente ou via infusão – medicamentos prescritos por um médico, que irá avaliar o perfil, as restrições, as necessidades e o tratamento mais adequado a cada indivíduo.

No momento de aplicação da terapia, é fundamental contar com uma equipe qualificada, que cheque e siga a prescrição médica, averigue os equipamentos antes do uso, verifique o acesso venoso do paciente e confirme seu entendimento sobre a terapia a ser seguida. Com esses cuidados, o tratamento tem tudo para gerar bons resultados e mais conforto e segurança ao paciente.

Como é o corpo clínico que atua com as infusões medicinais?

De forma geral, a equipe é composta por profissionais de diferentes áreas, que complementam de modo mais integral o atendimento realizado ao paciente. Ou seja, o time agrega profissionais da enfermagem, farmácia e medicina a fim de poder proporcionar um tratamento mais completo e eficaz para os pacientes.

Um corpo médico capacitado é capaz de recomendar e administrar o método mais indicado para evitar reações e obter os melhores resultados.

A Croce, por exemplo, é uma das clínicas que trabalham com infusões medicinais, sendo uma das principais especialistas no país sobre o assunto. Com uma renomada equipe médica, composta por especialistas da USP e da UNIFESP, a Clínica Croce oferece, desde 1973, o que há de melhor nas áreas de Alergologia e Imunologia, Endocrinologia, Endocrinologia Pediátrica e Reumatologia para proporcionar um atendimento humanizado e uma avaliação científica precisa e qualificada.

E você, já sabia que as infusões medicinais são utilizadas no tratamento das doenças citadas neste artigo? Está procurando por uma opção de tratamento para alguma doença? A Clínica Croce pode ajudar. Se você está buscando os benefícios trazidos por essa técnica para o seu tratamento, consulte-se com um de nossos especialistas!

Powered by Rock Convert