Leite de arroz pode ser prejudicial se usado como substituto do leite de vaca

Embora muito recomendado em dietas para quem tem intolerância à lactose ou alergia às proteínas do leite,  o leite de arroz pode se tornar o mais novo vilão se for usado como o substituto para o leite de vaca em crianças menores de 4 anos e meio.

Isso porque ele possui uma quantidade de arsênico inorgânico, manganês e alumínio que podem ser prejudiciais ao sistema nervoso central, rins e fígado se consumidos em alta quantidade e período prolongado. De acordo com os especialistas da ASBAI – Associação Brasileira de Alergia e Imunologia, a quantidade de proteína é, sobretudo,  inferior ao que uma criança necessita, principalmente, se for utilizado como fonte única de substituição do leite.

Os médicos explicam que, se o leite de arroz for consumido nessa faixa etária, as substâncias mencionadas acima podem ficar depositadas nos órgãos (rins, fígado e sistema nervoso central), levando a efeitos neurotóxicos, nefrotoxicidade e hepatotoxicidade. Vale saber que o consumo em quantidades pequenas (cerca de 1 copo por dia) ou em preparações culinárias excepcionais não é nocivo.

“Ao propor o tratamento de pacientes com APLV, deve-se considerar que a exclusão deste importante alimento implica em uma oferta de substituto com propriedades nutricionais equivalentes. Bebidas como a de arroz, não são preparadas para o paciente pediátrico e não possuem qualidades que possam classificá-las como substitutos ao leite, mesmo em crianças mais velhas”, complementa a Dra. Ana Paula Moschione Castro, médica alergista da Clínica Croce.

Não existem dados estatísticos no Brasil sobre as alergias às proteínas do leite, mas sabe-se que a prevalência entre a população mundial varia entre 1,8% a 4%.

Para os pacientes com alergia à proteína do leite, as fórmulas hidrolisadas à base de leite de vaca seriam as principais opções para a substituição nos 2 primeiros anos de vida, pois apresentam adequado valor nutricional para esta faixa etária. As fórmulas de soja podem ser utilizadas em algumas formas de alergia, mas nunca antes dos 6 meses de vida. Bebidas à base de soja podem ser indicadas a partir de 1 ano de idade, desde que se respeite o valor calórico, já que a maioria contém alta quantidade de carboidratos (açúcares) em sua composição.

Atenção também para o leite de amêndoas ou outras castanhas, bem como o de aveia, que apresentam quantidades mais elevadas de manganês e alumínio e podem levar a neurotoxicidade se consumidos em altas doses como substituto único do leite de vaca.

 

Compartilhe