Dermatite atópica pode ser controlada se receber tratamento adequado

Pele seca, coceira, prurido e eczema podem ser sinais de alerta de dermatite atópica, também conhecida como eczema atópico. Trata-se de uma doença inflamatória da pele de caráter crônico e recorrente, relacionada intimamente com alergia.

Já na infância é possível desenvolver a doença, que geralmente tem relação com o gene de atopia (passado de pai para filho), fatores ambientais como ácaros da poeira, produtos irritantes como shampoos, sabonetes e, às vezes, pode ter vínculo com a alergia alimentar, principalmente com proteína do leite de vaca, ovo, entre outros alergênicos.

O acompanhamento do especialista é fundamental para que o tratamento seja adequado. “É preciso reforçar os cuidados durante o banho, sempre com água morna, hidratante específico para pele do paciente, pomadas e antialérgicos para as crises, sempre com a atenção voltada para os fatores que podem agravar o problema”, sinaliza a Dra. Kathya Lury Nabechima de Araújo, médica pediatra e alergista da Clínica Croce.

A dermatite atópica não tem cura, porém, com a orientação apropriada de um especialista, a doença pode ser controlada e apresentar uma melhora considerável na fase adulta. “Ainda não temos como prevenir, mas se os pais forem alérgicos, usar hidratante e oferecer muita água à criança, desde pequena, auxilia muito, mas não pode ser considerada como prevenção”, orienta a médica da Clínica Croce.

 

Compartilhe