Alergia a picadas de insetos: Saiba o que deve ser feito!

Existem dois grupos de insetos que provocam alergia: os hematófagos (pernilongos, pulgas e borrachudos) e os himenópteros (abelhas, vespas e formigas). O primeiro é importante pela frequência, ocorre mais em crianças e, geralmente, são reações leves. No segundo grupo, as reações são menos frequentes, mas causam a anafilaxia, podendo levar o paciente à morte.

Os hematófagos injeta a saliva e os himenópteros o veneno, que são ricos em substâncias (proteínas) com diferentes funções. Os mecanismos imunológicos são distintos.

Frequentes em crianças de 1 a 10 anos, as alergias a picadas de insetos podem acometer adultos também.

“Os sintomas mais comuns no primeiro grupo são o aparecimento de pequenas pápulas ou vesículas nos locais das picadas com prurido intenso. No grupo dos himenópteros – urticária, edema de glote, hipotensão, choque e morte – os sintomas ocorrem em minutos”, explica o Dr. Fábio F. Morato Castro, médico alergista e imunologista, diretor da Clínica Croce.

Tratamentos
Nos casos em que o paciente é picado por pernilongos, pulgas e borrachudos, o tratamento deve ser feito apenas no local. Já as picadas de abelhas, vespas e formigas requerem um tratamento emergencial com adrenalina, antialérgicos e cortisona. “Nesse segundo grupo, podemos fazer a dessensibilização (imunoterapia, vacina) com resultados excelentes”, conta Dr. Fábio.

 

Compartilhe