31 de Maio – Dia Mundial sem Tabaco

No Dia Mundial Sem Tabaco, os especialistas da Clínica Croce alertam que o cigarro é um dos principais gatilhos para as crises de asma. “Os brônquios das pessoas que têm asma são muito sensíveis aos estímulos externos (poeira, mudança de temperatura, viroses respiratórias, cheiros fortes, fumaça, etc) que acabam agindo como importantes gatilhos para as manifestações das crises de asma”, explica o médico alergista e imunologista da Clínica Croce, Dr. Fábio F. Morato Castro.

A fumaça do cigarro contribui também significativamente para o agravamento das rinites alérgicas.
Além de causar danos ao sistema respiratório, o cigarro O cigarro é capaz de destruir células de diversos órgãos do nosso corpo e, por isso, ele pode causar cerca de 50 doenças. A cada vez que traga o cigarro, o fumante ingere cerca de 4700 substâncias tóxicas, das quais três são extremamente nocivas: a nicotina, que provoca dependência, o monóxido de carbono, que reduz a oxigenação sanguínea que é levada para o corpo, e o alcatrão, que reúne vários produtos cancerígenos, como polônio, chumbo e arsênio.

O ato de fumar é prejudicial não somente ao agente fumante, mas especialmente às pessoas que estiverem ao redor e ao meio ambiente. De acordo com a OMS, o tabagismo passivo é a 3ª maior causa de morte evitável no mundo, subsequente ao tabagismo ativo e ao consumo excessivo de álcool. Fumantes passivos também sofrem os efeitos imediatos como, irritação nos olhos, manifestações nasais, tosse, cefaleia, aumento de problemas alérgicos, principalmente das vias respiratórias e aumento dos problemas cardíacos, principalmente elevação da pressão arterial e angina (dor no peito). Outros efeitos a médio e longo prazo são a redução da capacidade funcional respiratória (o quanto o pulmão é capaz de exercer a sua função), aumento do risco de ter aterosclerose e aumento do número de infecções respiratórias em crianças.

Acenda esta ideia: previna-se contra o tabagismo!

 

Compartilhe